Portal da Propaganda www.portaldapropaganda.com

Gravitação

25/02/2014 14:32CARNAVAL LÍQUIDOAs cores, os excessos, os sons, as interações do Carnaval são tão intensas que é fácil se inebriar e ficar apenas na superfície. E, dessa forma, sobram corpos expostos, visões polarizantes, falsos moralismos e faltam dimensões mais humanas sobre essa festa secular.

 A força do coletiva é tanta que a visão da massa de um todo homogêneo acaba se sobrepondo e criando uma visão estereotipada. A tônica do Carnaval, no entanto, é cheia de contrastes: a muita música se mescla com a pouca roupa, com o muito suor, com o pouco sono, com a muita alegria, com a pouca censura.


ERA UMA VEZ UM CARNAVAL GERAL, QUANDO TODO DIA ERA DIA DE FOLIA PRA QUEM ANDAVA NAS RUAS, DE UM LADO PRO OUTRO, FAZENDO TROÇA DOS BOBOS. QUEM ERAM OS BOBOS? OS MANCOS, OS SEM DENTES, OS SEM FALA, OS SEM PERNAS, OS SEM OSSOS, OS SEM PAIS, OS SEM MÃES, OS SEM TRABALHO, OS SEM COMIDA, OS SEM SERPENTINAS E CONFETES PARA FESTEJAR A VIDA SEVERINA. TUDO LÁ ATRÁS DA IGREJA PRO SEU PADRE BERRAR: "QUE CARNAVAL É ESSE AQUI"? CORRIAM TODOS, ATÉ OS SACIS.
ERA UMA VEZ UM CARNAVAL FENOMENAL, QUANDO O BRASIL FEZ DO POVO DEBAIXO DAS PONTES, DOS CANTOS, DAS ESTRADAS, DOS MORROS, DOS RIOS, REIS E RAINHAS PRA COMEMORAR, MESMO POR POUCOS DIAS, A CONSCIÊNCIA DO QUERER SER BOBO... MAS FELIZ, SENDO SEMPRE MAIS BOBO QUEM? QUEM ME DIZ
, QUEM ME DIZ, QUEM ME DIZ...
Se voltarmos no tempo, vamos descobrir que o Carnaval tem um viés religioso e libertário, antecedendo os 40 dias da Quaresma. Época festiva e mais permissiva, dentro do tolerável, para preparar o corpo e o espírito para a privação em seguida. Tanto que uma das possibilidades interpretativas para a etimologia da palavra é "carne vale" (adeus carne) ou de "carne levamen" (supressão da carne).

 Retornando ao século XXI e à sociedade pós-moderna, que se delineia frente ao esmaecimento das organizações reguladoras como o Estado, a Igreja e a família e mais livre e sinestésica per se, qual o real valor do Carnaval? Na sociedade que já convive com os excessos dos mais variados possíveis, o que, efetivamente, sobra para o Carnaval?
(...)

27/01/2014 15:32A SEXTA REVOLUÇÃO E A ÉTICAEntre suas muitas contribuições aos saberes e à educação, o professor William Saad Hossne se destaca pela militância espinhosa numa área polêmica, embora estratégica para a própria evolução da sociedade. Ao optar pela bioética, ele mergulhou num campo transdisciplinar que envolve a biologia, as ciências da saúde, a filosofia e o direito. Com essa sólida base, a bioética estuda a dimensão ética dos modos de tratar a vida humana e animal, em pesquisas científicas e suas aplicações. Em outras palavras, busca aliar uma perspectiva humanista aos avanços tecnológicos na área da saúde, entre os quais despontam temas delicados – e ainda não consensuais –, como clonagem, fertilização in vitro, transgênicos, pesquisas com células-tronco e outros. 

A questão da ética na pesquisa científica com humanos ganhou relevância após a 2ª Grande Guerra, quando vieram à luz os sombrios experimentos realizados nos laboratórios nazistas. Ciclicamente o tema volta ao debate, pois, como ensina o nosso mestre emérito, cada salto da ciência cria problemas éticos, que não podem ser resolvidos só por cientistas de uma área. É necessário chamar as outras disciplinas para criar um balizamento ético. Se não tomarmos esse cuidado, a sociedade pode se autodestruir.


LIBERDADE PARA A OPÇÃO DE VALORES
Os sinais da sexta revolução estão aí, no dia a dia, e não são difíceis de perceber por um olhar mais atento. A ética da sexta revolução herdará algumas características da bioética, a qual implica a existência de liberdade para a opção de valores. Coação, coerção, sedução, exploração, manipulação ou qualquer mecanismo de inibição a essa liberdade são fraudes incompatíveis com o exercício ético.

(...)

20/12/2013 16:00DAS VOZES DA MINHA VOZPRIMA VOCE: E do estômago do mundo, em vez de dores, tremores. Do estômago do mundo.

Seconda voce: Nesta ou naquela estrela, o pó acoberta louvores. Vem a mente e insufla, sobre o pó, o poder da inteligência. Ela se mexe, como o pó, e o que antes anoitecia agora simplesmente passa. Mais, menos graça. Passa. Não anoitece. Não amanhece. Passa. Vai a mente da inteligência à frente. Retorna. Constata. Mexe no pó. Tudo se contorce. Parece que o estômago do mundo quer falar.

Terza voce: Sou eu. Quero falar, quero respirar, quero pensar. Mas não quero. Quero somente star. Sou eu. Eu dizia. Sempre disse. Sou eu. Quero ouvir, quero olhar, quero tocar. Mas não quero. Quero somente ser eu no teu eu. Sou eu. Quero amar, quero entrar em você, quero deglutir, quero sentir. Mas não quero. Quero somente gozar.

Seconda voce: Silêncio.

Terza voce: Para me esfacelar. Quantos eus, além do meu, querem ser e estar no teu?

Seconda voce: Confundem-me. Pelo amálgama. Não me crêem. Não me vêem. Crêem e vêem n’outros. Silêncio. Parece que o estômago do mundo quer falar. Se dizes que queres ser em mim, minha sina não tem fim. Somente gozar… também o quero, mas, antes, ouça. O estômago do mundo quer falar.

PRIMA VOCE: Tremo. Há um parto a procura do sol. Há um amor a procura de calor. Há uma pele deslizada. O tremor foi roubado. E agora? Medo? Não… Foi o enredo que se esfacelou. Tornado pó. A luz não alcança o pescoço do universo. Tamino e Papageno caminham. Caminham. E a flauta não encontra mais as próprias notas musicais. O estômago do mundo se contrai. O tremor vem sendo roubado. E os noturnos desencadeiam dores. São de novo os tremores. São os trinados. Os trinados estão sendo roubados. O estômago do mundo está assustado.

Seconda voce: Amo todos os trinados. Amo todos os teclados. Amo o som da flauta que fugiu. Papageno… Escondestes Tamino. Eras menino. As pedrinhas chamavam teus olhos. Teus dedos. Pedrinhas de Deus. Feitas carrinhos. Feitas brinquedos. Pedrinhas. Feito homem, Pedro. Amo todos os trinados. Amo todos os teclados. Amo todas as pedras feitas esmeraldas nas brincadeiras de calçadas.

Terza voce: Tua pedrinha, tua esmeralda, sou eu. Sou Papageno, sou Tamino, sou teu menino. Sou teu homem. Sou Deus. Sou os dedos da flauta. Sou os teclados que querem teus toques, teus lábios, teus tremores, tuas dores, teus gozos, teus choros, teus sorrisos. Sou eu. Sou tua, tua mão. Não sou eu?

(...)

23/11/2013 20:54IMPROVISOS DE LIZGotinhas, gotinhas, gotinhas…

É o verão. Solidão.

Olhe praquele céu cereja. Vem de lá o som do violino.

A flauta vai fugir… Há melodias querendo partir.

Saudade de ti. Olhe praquele céu cor de rosa. Vem de lá o som do piano.

A flauta vai se despedir… Há melodias querendo partir.

Vou voar com aquele anjo. Todo branco. Celeste.

Olhe praquele céu que escurece. Vem de lá o som de Mi.

Ah!, toda flauta deslizando para o teu Fá. E ninguém pra te namorar.

Gotinhas, gotinhas, gotinhas…

Já sei. São de espuma do mar. Olhe pra cor daquele pescador.

Parece um anjo mergulhado no amor. Vem de lá o som do Sol.
Por que calastes?

A flauta fugiu. Quer tocar no Brasil. Para Noel.

Sem barca. Fugiu pelas cores do Improviso e anoiteceu na palidez.

Tentando outra vez ter voz. Ter calor no sorriso.

Olhe praquele céu lilás. Vem de lá o som do Si.

Olhe pra mim. Olhe pra ti. Vem aqui, vem aqui, vem aqui…

Graças. Tu querias mais Graças. As flores do Improviso ao sentir o cheiro de Ti.
(...)

24/10/2013 00:43VOCÊ É EXIGENTE DEMAIS?Entregar um trabalho perfeito é o sonho de todo trabalhador. Todos nós saímos de casa para deixar uma marca positiva através dos trabalhos que realizamos. Entretanto, quando o excesso de zelo ultrapassa os limites, o resultado pode ser exatamente o contrário do que se busca.


– DEFU, TU ME CRITICAS EM EXCESSO...
– QUEM, EU? POIS TUDO QUE FAÇO É TE COLOCAR NAS ESTRELAS...
– POR ISSO MESMO. TU ME TIRAS OS PÉS DO CHÃO PRA ME FAZER FLUTUAR SEM RUMO, TIRANDO MINHAS CERTEZAS E ME TORNANDO UMA EXIGÊNCIA ALIENÍGINA NUNCA SATISFEITA.
– WHAT ELSE? CRUZ E CREDO! SOU CRÍTICO, CRÍSTICO, ESTOU NO TEU LADO INTERNO, MAS TAMBÉM NO EXTERNO, É CERTO. CONTUDO, FLOR, SE TE PONHO ESTRESSADA, NÃO ESTÁ MAIS AQUI QUEM FALOU!
– UAU! VITÓRIA. ATÉ QUE ENFIM, ADEUS. ENFIM SÓ SOMENTE EU. BOA SORTE PELO TUBO DO SUMIÇO...
– HAHAHA.... TU PENSAS QUE VOU DESAPARECER COMO SE FOSSE UM FEITIÇO?
– FOI O QUE ENTENDI, CRÍTICO INTERNO. TU ME FAZ EXIGENTE DEMAIS, PORTANTO, COMO TU DISSESTES, NÃO ESTÁ MAIS AQUI QUEM ANDOU FALANDO MAIS DO QUE DEVIA.
– EXATAMENTE. FICA O CRÍTICO E VÃO-SE OS SEM VÉUS. OLHA PRO DEDO, AMOR, SEM DEDAR A TAREFA MAL FEITA DE HOJE, MAS PENSANDO EM COLHER, AMANHÃ, A MAIS LINDA FLOR.

O grande vilão do perfeccionismo é o crítico interno. Pessoas exigentes demais possuem um crítico interno muito grande. Não toleram erros alheios e, principalmente, não sabem lidar com os próprios erros. Por conta do medo de errar tornam-se pessoas tensas, rígidas, estressadas, sobrecarregam-se de trabalho e acabam adotando padrões negativos de comportamento. O crítico interno faz com que a visão sobre os detalhes aumente ao mesmo tempo em que afunila a visão global do processo.
(...)

11/06/2013 11:43A ESCASSEZ DE MÃO DE OBRA NO MERCADO DIGITALO mercado de agências digitais enfrenta uma escassez de mão de obra em diversas áreas e funções. Entre os mais requisitados, estão os profissionais que gerenciam mídia de performance e de programação em Flash, que estão em formação, dentro de um lento processo educacional. Aqueles que já estão no mercado são caros. Os programadores, ainda, são um caso à parte, porque as agências concorrem com o mercado de TI e, até 2014, haverá uma carência de 400 mil postos. Há uma lacuna, também, para diretores operacionais, que são aqueles que conhecem um pouco de tudo na empresa, graças à experiência adquirida, e diretores de criação com perfil de liderança, que queiram formar e capacitar um grupo. Outro diferencial são profissionais com perfil de quem sabe planejar e mensurar, que tenham conhecimento por exemplo de Google Analytics, de retorno sobre investimento (ROI), e, principalmente, que entendam o negócio do cliente e saibam estudar seus concorrentes antes de produzir um projeto digital.
SÓ FALTA COMBINAR COM AS MENTES BRILHANTES QUE VÃO BUSCAR 1 MILHÃO EM VEZ DE GERAR APENAS 100 MIL... MAS CLARO QUE VAI DAR CERTO, MANÉ, SE O TIME ESTIVER, DE FATO, MELHOR PREPARADO, MELHOR EQUIPADO, EXTREMAMENTE ATUALIZADO E, ÓBVIO, MELHOR REMUNERADO! COPIOU? É SÓ COMEÇAR A INVESTIR!
Este segmento tem, em média, um faturamento de R$100 mil por ano por funcionário. Dessa forma, uma agência com dez profissionais tem em média um faturamento de R$1 milhão de reais por ano e, com base nessa linha de raciocínio, se quiser atingir o faturamento de R$10 milhões, precisaria ter 100 funcionários para atender a demanda com qualidade, ou seja, trata-se de um negócio não escalável, pois sempre dependerá de ter mais pessoas para atingir o faturamento desejado.
(...)

03/06/2013 19:31DEZ ANOS DE DESRESPEITO AO ESTATUTO E AO TORCEDOREm 15 de maio de 2003, pouco mais de três meses após ser empossado em seu primeiro mandato, o então presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, sancionou a Lei 10.671, instituindo o Estatuto do Torcedor, este que é, sem dúvida, o maior patrimônio dos clubes, em especial no futebol. Passados dez anos, a comemoração dessa conquista legal é prejudicada pelo desrespeito a alguns de seus mais importantes dispositivos.

 No âmbito das normas cujo descumprimento é mais lesivo incluem-se as contidas no Artigo 26, que assegura, dentre outros direitos, o acesso ao transporte público seguro e organizado e serviços de estacionamento para uso dos torcedores. Além disso, há obrigatoriedade de o organizador do evento disponibilizar, ainda que oneroso, meio de transporte para a condução de idosos, crianças e pessoas portadoras de deficiência física aos estádios, partindo de locais de fácil acesso, previamente determinados.


NÃO POSSO FICAR NEM MAIS UM MINUTO PRA FAZER, NEM PRA VER GOOOOL, SINTO MUITO AMOR, MAS NÃO PODE SER... MORO NOS CAFUNDÓS DO BRASIL, SE EU PERDER ESTE TREM, QUE NÃO SAI AGORA, NEM SE SABE A QUE HORAS, SÓ AMANHÃ NO CAMBURÃO. ALÉM DISSO, PELÉS, TEM OUTRAS COISAS: ÔNIBUS NÃO PARA E METRÔ NÃO FUNCIONA ANTES DE EU QUEBRAR... SOU CIDADÃO ABANDONADO! NÃO ADIANTA NADA MARKETEIRO TENTAR ME AJUDAR, NÃO TENHO COMO FESTEJAR!
Ora, nenhuma dessas três obrigações legais é atendida. O transporte público aos estádios é invariavelmente precário, com um fator agravante: há cidades em que a oferta de trens, metrôs e ônibus é até reduzida aos domingos, quando normalmente ocorrem os grandes jogos. Em outros casos, um dos mais eficientes meios de transportes, o metrô, tem seu fechamento realizado antes do término da partida, por conta dos horários noturnos absurdos de alguns jogos. Quanto aos estacionamentos, o desrespeito é ainda mais grave.
(...)

ARQUIVO

2014
2013 2013

BuscaRápida

Esqueci! Cadastre-se
© 2002- Revista About e Portal da Propaganda
Redação, Administração, Publicidade, Circulação e Prêmios - R. Cardoso de Almeida 788, 11º andar, cj. 112/113 - Perdizes - CEP 05013-001
São Paulo - SP - Tel. (11) 3675-9065