Portal da Propaganda www.portaldapropaganda.com

26/03/2015 01:44PÁSCOA E PROTEÇÃO INFANTIL PARA O CONSUMOA Páscoa se aproxima e com ela os ovos de chocolate. Algumas pessoas consideram esta associação ruim, pois, neste caso, os personagens infantis que estampam as embalagens são uma ofensa à dignidade da criança e por isso não deveriam ser permitidos.
Creio que esta visão seja equivocada, pois tudo depende de como os pais lidam com os filhos em datas comemorativas. Definitivamente, os brinquedos e personagens associados aos ovos de Páscoa, por si só, não são uma violência mercadológica contra a criança.
CRIANÇA É PRIORIDADE E TEM PRIORIDADES QUE A SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA PODE ESTAR DEIXANDO DE RESPEITAR
Podemos, sim, falar de consumo com as crianças, inclusive na Páscoa, desde que a conversa seja pautada em educação, respeito e afeto. Esta é mais uma oportunidade durante o ano para os pais ensinarem aos filhos os preceitos do consumo consciente.
Criança é prioridade, precisa sempre ser protegida e deve ser orientada e educada para o consumo saudável. Para isso, um conjunto de práticas é necessário, como a educação para o consumo em casa e na escola; mercado atuando de forma ética e responsável; diálogo transparente, coerente e respeitoso entre a sociedade e da sociedade para com as crianças; aplicação das leis existentes em caso de abuso nas práticas mercadológicas; e, principalmente, bom senso e equilíbrio de todos os envolvidos.
(...)

09/03/2015 16:07ESTUDO DA IPSOS DEFINE PERFIS DAS BRASILEIRAS PELO SEU JEITO DE SER E ESTAR NO MUNDO CONTEMPORÂNEOPara entender um pouco mais sobre a mulher brasileira, a Ipsos MediaCT, líder em estudo de mídia no Brasil, divulga uma pesquisa sobre diferentes perfis no País. identificando-as por diversas categorias como, por exemplo, Dedicadas, Contemporâneas, Absolutas, Elites, Batalhadoras, Consumistas, Esforçadas, Conservadoras, Bem Nascidas, Tecnológicas, Conformadas, Novas Alternativas e Ambiciosas.
MULHERES COMPETENTES EM DECISÃO DE COMANDO, BEM COLOCADAS NO MERCADO DE TRABALHO E BEM REALIZADAS NO SEIO FAMILIAR SÃO BÊNÇÃOS. TODAVIA, COMO DIZIA MINHA AVÓ, É PRECISO TOMAR MUITO CUIDADO PARA EVITAR QUE O SUCESSO NÃO SUBA À CABEÇA, NEM TANTO POR CAUSA DO TOMBO QUE VEM EM SEGUIDA, MAS PORQUE AS MULHERES, DE MODO GERAL, AINDA NÃO TÊM A MESMA PERSPICÁCIA QUE OS HOMENS, HISTORICAMENTE MAIS EXPERIENTES POR "MAIS TEMPO DE SERVIÇO", NA HORA DE FAZER TEMPERATURA SUBIR E DESCER DE ACORDO COM AS CIRCUNSTÂNCIAS E, QUANDO CEGAS PELA ARROGÂNCIA, CAEM FÁCIL NA MENTIRA – DELAS MESMAS E DOS OUTROS –, PISANDO EM RABOS DE RAPOSAS E LOBOS, AO ENXERGAR, NO LUGAR DELES, APENAS GATINHAS E GATOS. MORDIDA DE RAIVA RECEBIDA, PSICO-CONSCIÊNCIA CONTAMINADA. DAÍ POR DIANTE, AINDA FAZEM DA FLOR SEU MAIS FORTE REFRÃO E ACREDITAM NAS FLORES VENCENDO O CANHÃO?
“A presença da mulher na sociedade é de extrema importância. Muita coisa mudou após elas lutarem por melhores condições de vida e trabalho. Claro que ainda há muito o que melhorar. Hoje, elas são as responsáveis por importantes decisões no ambiente de trabalho e no ambiente familiar”, afirma Diego Oliveira, diretor de contas da Ipsos MediaCT.

 Realizada nos 13 mercados nos quais a Ipsos tem atuação, a pesquisa englobou uma amostra de 27 mil mulheres.
(...)

03/03/2015 00:36A IMPRENSA E A LIBERDADE“Entendo que a liberdade de imprensa é cláusula pétrea da Constituição Federal, por dizer respeito ao mais sagrado direito de uma sociedade de ser informada da verdade, não pelos detentores do poder, mas pela imprensa. Não podem, portanto, ser modificados os fundamentos do caput do artigo 220 da Lei Suprema.” O parecer, de extrema clareza, encerra artigo em que o conceituado jurista Ives Gandra da Silva Martins analisa recentes manifestações de alguns setores que, a pretexto da democratização da informação, voltam a insistir no controle da imprensa. E, mais uma vez, invocam o argumento da concentração de capital nos segmentos de jornais e emissoras de TV.
– PSIU, Ô DA CENSURA-DEUS-QUE-ME-LIVRE, TU ANDASTES ABUSANDO DA LIBERDADE ADQUIRIDA?
– QUEM, EU? E LÁ TENHO EU POSSES PRA ABUSAR DE ALGUMA COISA? HOJE MANÉ ME FONOU, DIZENDO SER DA OPERADORA DE CARTÃO DE CRÉDITO, PRA CONFIRMAR COMPRA SEQUESTRO CLASSE A FEITA EM MEU NOME NAS AMERICANAS, MANJA?
– E AÍ? DIÁLOGO CENSURADO? CRAVASTES UM ATÉ LOGO, O SERASA CHEGOU PRIMEIRO?
– HAHAHA... SERASA CHEGA PRIMEIRO QUANDO A EMPRESA SE CHAMA VIVO, MEIO MORTA-VIVO, MAS VIVO TRAMBICANDO ASSINANTE COM O GOLPE DO CHIP LESADO, PORÉM NOT DEAD YET, ISTOÉ, NÃO CANCELADO E ETERNAMENTE COBRADO, SEJA PELO NOVO, SEJA PELO NÚMERO ALTERADO...
– E A GALERA DO CARTÃO AVISA? É PÁREO PRA ANVISA?
– FIGURA, ESCUTA A BOSSA: MEU CARTÃO? QUAL DELES? CARA, QUE MOSSAD, POIS NÃO É QUE MEU NOME TÁ CERTINHO, MAS NÃO TENHO CRÉDITO NEM PRA COMPRAR NO ARMARINHO?
– HAHAHA... E O CARA?
– IA RIR, MAS DESLIGOU NA BUCHA, CARA. TU ACHAS QUE DÁ PRA JORNALISTA BEBER E ATENDER AO TELEFONE, SEM SABER SE DO OUTRO LADO O BABADO É COM O BERLUSCONI?
– LIQUIDASTES NA LATA?
– NO GANCHO, PRO PRÓXIMO TOQUE, POIS SE JOGO MUITA CONVERSA FORA, QUEM CUIDA DESSE MALOTE?
– SE FOSSE CASO DE VIDA OU MORTE?
– RESPOSTA EMBUTIDA NA PERGUNTA, MEU CARO PSIU! À VIDA O QUE É DA VIDA; À MORTE O QUE É DA MORTE...
– NEM SCHOPENHAUER EXPLICITARIA MELHOR, MY DARLING.
– POIS ENTÃO, CHOPP É CHOPP EM QUALQUER LÍNGUA, EMBORA PAREÇA DESLIZAR MAIS SUAVE EM LÍNGUA DE ALEMÃO. TENTA APORTUGUEZAR MELHOR QUE ISSO, SEM ESCORREGAR NOS TEUS TO MATES, QUE EU QUERO VER SE TU CONSEGUES.
– TONTA, TU SABES QUE MEU VOCABULÁRIO NÃO DÁ PRA TANTO!
– EU SABIA! E COMO SEMPRE DIGO, QUEM PODE MAIS DORME MENOS.

Quando se discute a imposição de limites à liberdade de imprensa, é sempre bom ter na memória o risco embutido nessa questão essencial para o pleno exercício da democracia. A história recente do País mostra o que acontece quando detentores do poder de tendência autoritária e avessos ao contraditório assumem o controle da mídia. Sem imprensa livre, cortaram-se os canais para a circulação de informação e impediu-se que chegassem ao conhecimento da sociedade fatos de fundamental importância, entre os quais violações de direitos humanos, planos mirabolantes de desenvolvimento econômico e outros desmandos praticados nos porões do poder público. Aliás, esse cenário repete-se, sem exceção, na história de todas as ditaduras que, entre as primeiras medidas adotadas ao assumir o poder, inclui o cerceamento da liberdade de imprensa.
(...)

02/03/2015 09:35A VITÓRIA E A REPUTAÇÃO: O CONTO DE DUAS AVES NO CARNAVAL BRASILEIROÉ impossível para um profissional de comunicação ou marketing ignorar a repercussão da vitória da Beija Flor no Carnaval carioca. O que era para ser uma ação corriqueira – patrocinar uma escola de samba em troca de figurar em seu enredo – tornou-se uma crise que está respingando até em terceiros. A construtora Odebrecht, por exemplo, precisou divulgar nota negando que tenha patrocinado a escola. O que deu errado?
O CALVÁRIO DA BEIJA FLOR NAS REDES SOCIAIS – ASSIM COMO O CALVÁRIO DO BRASIL NA MÍDIA INTERNACIONAL E O CALVÁRIO DAS POLÍTICAS SOCIAIS SOB GOVERNOS POPULISTAS – NÃO NEGA NEM AO RELINCHAR DE MULAS, NEM AO SILÊNCIO DOS HIATOS: THE ZUEIRA NEVER ENDS
Basicamente, o timing da ação: em meados da segunda década do século XXI, já não dá para ignorar questões como quem financia ou o que está por trás do tema escolhido. Com as redes sociais consolidando-se como canais de transmissão de informações e a pulverização das fontes de dados e análises, torna-se praticamente impossível a grandes marcas (ou a marcas em processo de grande visibilidade, como uma escola de samba do grupo especial na época do Carnaval) esconderem o jogo. E quando o jogo está fora do espírito do tempo, a dissonância logo vem à tona.

23/02/2015 22:50O DESEMPENHO É BAIXO, MAS O QI É ALTO? NÃO MANDA EMBORA, NÃO, PATRÃO! MANDA PRA CANNES: MAIS BARATO QUE DEMISSÃO E, NO RETORNO DO INVESTIMENTO, SE A MALA NÃO MUDAR DE CASA, PODE ACABAR LHE RENDENDO UM LEÃO O Cannes Lions International Festival of Creativity decidiu motivar líderes da indústria publicitária a investir com inteligência em suas equipes, sugerindo que eles escolham a dedo, ao avaliar seus times, os profissionais que merecem dar uma paradinha no dia a dia para mergulhar com todos os cinco sentidos e aqueles mais que já tiverem desenvolvido na programação do evento em 2015. Uma campanha deste porte, capaz de colocar sob a linha de tiro tantas cabeças do universo da propaganda em todo mundo, só poderia mesmo ter sido criada em Londres – e quem assina embaixo é a McCann inglesa.
QUANDO UM (UNS) NÃO QUER(EM), O(S) OUTRO(S) VAI(ÃO) VIAJAR
Compreendendo anúncios para jornais, revistas, meios digitais e filmes, o esforço de comunicação promove a participação dos delegados no festival entre os dias 21 e 27 de junho próximo. O mote da campanha é fazer com que as chefias de criação detectem a falta de estímulo associada à baixa produtividade das equipes, mas ressaltando que investir na participação dos profissionais num evento com a amplitude e riqueza inspiradora como Cannes Lions pode modificar positivamente essa realidade, ou melhorar ainda mais o desempenho dos times mais campeões do Planeta na geração e produção de ideias a service de marcas, produtos e serviços. "Mais barato que demissão”, brincam as mensagens, induzindo os publicitários a pensarem diferente a partir de “pequenos” detalhes que têm o poder de fazer bem mais grandiosa a história de suas agências.
(...)

19/02/2015 22:26NÃO SE FAZ MAIS SUPERMERCADO COMO ANTIGAMENTE?Entrando numa fila de check out do supermercado, na qual havia somente um cliente já em atendimento, pergunto à senhora que opera o caixa: “Você está aberta?” Dependendo do horário, os caixas fecham e abrem, em São Paulo, para contabilizar a “féria” e repassá-la à gerência. Pode estar na hora do transporte bancário ser feito para encerrar parte do movimento do dia, entende? Se você dorme na fila, tem de começar tudo de novo no caixa ao lado, sem reclamar, por isso, na pressa, estou sempre alerta. A senhora responde algo, na sequência, mas infelizmente, não escuto. Digo isso a ela: “Desculpe, não ouvi sua resposta”. Ela retruca, meio enfezada: “O que você me perguntou?” Eu respondo com calma e clareza: “Perguntei se você está aberta?”. Recebo, então, um torpedaçooo, absolutamente certeiro: “Eu não estou aberta, não senhora. Mas o caixa que estou operando está sim”. UAU... Reconheço minha gafe de imediato e, com rapidez, peço desculpas com mais gentileza e clareza ainda: “Sim, desculpe. Sinto muito. Você tem toda razão. Eu me expressei muito mal, porém, sem intenção alguma de fazer gracejos. Gostaria apenas de saber se o caixa está aberto e se posso pagar pelas minhas compras aqui”. Ela aceitou minhas desculpas, ainda bem, e, creio, o senhor que estava deixando o caixa, na minha frente, não ouviu esse diálogo “picante”, digamos – ou preferiu fingir que não ouviu nada. Não conversamos, em seguida, sobre nenhum outro tema relevante sobre o panorama nacional, contudo, ela me atendeu com correção, presteza e delicadeza, verdade tem de ser dita.

SE ALGUÉM JÁ DISSE QUE GOVERNAR É ABRIR ESTRADAS, QUE MAL HÁ EM METER UMA FAIXA DE BICICLETA PRA AMBULÂNCIA PASSAR?
Agora, senhores e senhoras, cidadãos e cidadãs, brasileiros e brasileiras, norte-americanos e norte-americanas (vivem aqui dentro, escondidinhos, para não atrapalhar, claro, junto com um monte de crianças curiosas), desde quando essa coisa de “aberto” e “fechado” passou a ser discutida em check out de supermercado sem dizer respeito ao caixa, onde, até semana passada, aos vencedores, as batatas bem embaladas por um preço justo eram realmente o que importava?
Digam-me, poderia eu estar falando, ali, bem atrás do meu carrinho de compras, enquanto meu filho me aguardava no carro estacionado em frente ao estabelecimento, com sua catapora recém-adquirida, de abertura política, talvez? Ou das opiniões dos trabalhadores sobre o fechamento do Congresso Nacional? Ou das expectativas sobre as torneiras secas das reservas da Cantareira? Não havendo, inclusive, entre mim e a senhora, uma cartilha aberta para que debatêssemos os graus de linguagem e compreensão de texto de acordo com os programas didáticos estabelecidos para os Ensinos Infantil, Fundamental e Médio no Brasil, falaria eu, naquele momento, da abertura ou fechamento de ideias nacionalistas, do tipo que fizeram com que Monteiro Lobato escrevesse confirmando a tese de Washington Luís de que “governar é abrir estradas?”
(...)

Newsletter

Assine a newsletter. É rápido e grátis.

TV Portal

Quem brinca nem sempre amigo éTem dia que ele acorda mais vesgo do que nunca. Em outro, ele cheira peixe deposto do aquário, mas... afinal, é ele ou você o otário?

Quem as horas aí eram?A melhor dupla da agência prefere brincar de quarteto? E quando a casa cai, filme vira app, merchan vira feira e anúncio vira folheto?

Levando a vida na risadaEle tem amigos pra caramba, começa e termina tudo num estalar de dedos, mas se a reunião é no cliente diz que está com dor de dente?

Sem estratégia dá?Ela já sabe contar além do seis? Só pulando o sete? E se ela montasse a estratégia de trás pra frente? Mas não conta pro cliente

Vowel soundsQue olharzinho doce que ela tem. Será que serve pra fazer anúncio que agrade a mamãe e o neném?

Não é um Brasil bem melhorRui Branquinho, CCO da Young & Rubicam São Paulo, avalia performance brasileira em Film Lions e Film Craft Lions 2014

Watch more and more and more"Obama", da Dimension San Sebastian e Debolex+Iruson para Radio Euskadi, ganhou Ouro em Film Craft

Pode ser ainda melhor?Amir Kassaei (DDB Worldwide) garimpou o melhor da indústria da propaganda no júri de Film Lions, presidido por ele

Ângulos mágicos"Karate", da Wieden + Kennedy New York e Biscuit Filmworks Los Angeles, para Southern Comfort, tem algo que outros não têm

Ingen nummer ettPresidente do júri de Film Craft, Brian Carmody (Smuggler) detalha os motivos pelos quais não há GP nesta área em 2014

Crença na magia interiorVan Damme e Volvo não ganharam Grand Prix de Film Craft. It's very hard to be the number one, n'est ce pas?

Magical environmentFaltou magia no entorno para "Honda Illusions”, da McGarryBowen London para Honda CR-V, ganhar o Grand Prix de Film Craft

Ahead magicMágica de Doug Scott (OgilvyEntertainment) e demais jurados faz desaparecer Grand Prix de Branded Content & Entertainment

Jury can't get no satisfaction"Bob Dylan like a Rolling Stone" não ganha Grand Prix em Branded Content & Entertainment. "Oscar´s Selfie" também não

Sete Leões numa Kombi?A AlmapBBDO e a Volkswagen ganharam 2 Leões de Ouro em BC&E Lions com "Kombi last wishes". Poderia ter sido um GP?

Espírito de integraçãoPrasoon Joshi (McCann Wordgroup Índia) conta aos jornalistas como atuaram os jurados de Titanium and Integrated

Coração de campeão"Sound of Honda" presenteia brasileiros com o bater de coração de Ayrton novamente e ganha Grand Prix de Titanium em Cannes

Face to up“Megafaces”, realizado por Megafon Moscow, Axis Moscow e Asif Khan London para JSC Megafon, é GP de Innovation 2014

Behind the magicTom Bedecarré (AKQA), presidente de Innovation Lions, ressalta qualidades do GP Russo, um case fenomenal de interação com o público

Energia que dá vida às ideiasVeja o pronunciamento de Tony Hertz e escute o Grand Prix de Radio Lions 2014 junto com os jornalistas no Palais

Genialidade de visionárioDonghoon Chang, da Samsung, ao presidir o júri de Product Design agiu com formosura na expressão de sua genialdiade

Love more and more and morePresidente do júri de Design, Ije Nwokorie, global CEO da Wolff Olins, afirma que força do design tem de estar em toda comunicação

Singular and unforgettableUm dos Grand Prix mais brilhantes da história do Design Lions é uma brand campaign para o Bergen International Festival

Sem ruídosRémi Babinet, founder and creative director da BETC, presidinte do júri de Press Lions, avalia os critérios para escolha dos Leões

Lugar certo, hora certa, pessoas certasJaime Robinson, da Pereira & O’Deil, foi a profissional cujo talento mereceu a presidência do júri de Mobile em 2014

Grande prêmio de profissionalismoRepresentante brasileiro em Mobile, Luiz Sanches, sócio e diretor de criação da AlmapBBDO, avalia performance do Brasil

Hay que ser bravo y valienteO representante da Colômbia, Jose Miguel Sokoloff, presidiu o júri de Outdoor e neste vídeo introduz as declarações sobre vencedores

Pra rir ou chorar?Valdir Bianchi, diretor de arte da Mood, representou o Brasil em Outdoor Lions, e está surpreso com padrão de excelência dos concorrentes

Revolución libertaria en los mediosGrand Prix de Outdoor, "ANZGAYTMS" é show de engajamento em nível emocional e em participação

Happy juryLíder nato, o mais que mathman Matt Steiler, global CEO da IPG Mediabrands, analisa o trabalho dos jurados de Media Lions

BuscaRápida

Esqueci! Cadastre-se
© 2002- Revista About e Portal da Propaganda
Redação, Administração, Publicidade, Circulação e Prêmios - R. Cardoso de Almeida 788, 11º andar, cj. 112/113 - Perdizes - CEP 05013-001
São Paulo - SP - Tel. (11) 3675-9065